Home / Notícias Rápidas / Quero me separar, mas não tenho coragem!

Quero me separar, mas não tenho coragem!

Quero me separar, mas não tenho coragem! O ato de casar-se com alguém é algo para vida inteira, porém em alguns casos a situação pode mudar. Muitas pessoas pensam: “quero me separar, mas não tenho coragem” e não sabem o que fazer. Nesse caso, é preciso antes de tomar qualquer decisão pensar um pouco mais em várias questões que são essenciais.

Nem sempre apenas pensar: quero me separar já não vai bastar e por essa razão é necessário ir além. A postagem de hoje vai mostrar que entrar com pedido de divórcio é muito mais simples do que todos podem pensar. Lembre-se que ninguém é obrigado a nada e tampouco continuar casados.

Obviamente que antes de prosseguir, é necessário fazer um aviso: não exponha as crianças. Muitos casos a própria pessoa usa a frase: “quero me separar e não tenho coragem” e pronto. Não pensam que por trás do casal existe uma família e uma instituição que deve ser preservada, pois é sagrada.

Quero me separar e não tenho coragem- O que posso fazer?

Para que a separação seja realizada existirá duas situações que são bem básicas. O divorcio amigável e aquele litigioso, portanto, é preciso conversar com a outra parte, porque é algo que mexe com ambos. A ideia é sempre partir para um acordo, pois não é interessante ficar brigando na justiça por muito tempo.

Algumas pessoas quando começam a ter aquele pensamento de “quero me separar, mas não tenho coragem” podem querer fazer as coisas com pressa. Lembre-se que existe sempre a oportunidade de contratar um bom advogado e evitar aqueles problemas que são bem recorrentes.

A dica é tentar ter uma conversa franca com a outra parte e procurar auxilio de um advogado. Trata-se de duas pessoas adultas, portanto, é mais do que necessário que ambos possam agir de forma dura. Afim de facilitar um pouco mais o entendimento, é necessário mostrar abaixo coo tudo acontece:

Separação amigável (quero me separar, porém mantendo a minha família intacta)

Essa alternativa é a mais eficaz e dependendo do caso, não é necessário nem gastar muito dinheiro. Será dividido em duas situações que são frequentes e ao mesmo tempo uma é simples e outra complicada, portanto, é necessário conferi-las abaixo, portanto, veja a seguir:

  • Casal sem filhos menores de idade e sem bens– Nesse caso, o processo é simples e basta dirigir-se ao cartório em que o casamento foi feito. Leve a certidão de casamento, o RG e CPF do casal, no cartório basta pagar a taxa e o honorário do advogado que estará intermediando.

Como não há bens e nem filhos menores do casal, o mesmo pode livremente se dirigir ao cartório ou fazer o divórcio online. Porém caso existam dívidas e não haja um comum acordo entre as partes, o divórcio deverá ser realizado por meio judicial.

  • Casal com filhos menores de idade e com bens– Nesse caso, o processo é um pouco mais demorado e caro, pois é preciso contratar um advogado. Uma vez feito isso, o casal pode fazer um acordo referente aos bens, pensão e até mesmo a guarda dos filhos.

Essa forma é a mais eficiente, porque vai proteger a família contra todos os problemas. É muito mais fácil de perceber que pensar quero me separar, mas não tenho coragem é possível e manter a família intacta também.

Separação Litigiosa (quero me separar e não tenho coragem, porque dará briga)

Essa forma de separação é aquela mais complicada, porque envolve briga e pode perdurar por anos. Dependendo do contrato, algumas coisas podem ser evitadas, porém quase sempre o que acontece são as brigas. Muitos casais esquecem que são adultos e partem logo para prejudicar a outra parte.

Quando envolve filhos a situação é pior ainda, porque existirá três questões que são as que mais dão litígios. Afim de facilitar o entendimento é essencial mostrar abaixo do que se trata, portanto, veja melhor:

  • Pensão-alimentícia– Essa das três é a menor, porque o juiz determina e se o pai não cumprir, ele será preso. A grande questão é que normalmente a outra parte tenta de todas as formas diminuir o valor.
  • Guarda dos filhos– Essa aqui dá muita confusão, porque é possível recorrer e em grande parte dos casos é o que acontece. A partir de 11 anos, a criança já escolhe, porém antes costuma acontecer muitas confusões.
  • Visitas– Resolvido a parte anterior, é necessário definir como acontecerá essas visitas, se será assistida ou não. Normalmente, o juiz dá a guarda para uma das partes e a outra fica com a criança de 15 em 15 dias

Pensar em “quero me separar, mas não tenho coragem” e optar pelo casamento litigioso pode ser complicado. O principal é tentar fazer tudo com paciência e sem sair discutindo ou mesmo brigando com a outra parte. Se tiver criança, lembre-se que talvez esse evento possa ficar marcado para sempre.

Quero me separar, mas não tenho coragem, porque dizem que é preciso cumprir uma série de requisitos. É real?

O Brasil é um dos países em que é mais comum as pessoas acreditarem em determinadas histórias. Algumas coisas tornam-se verdades e mesmo que sejam mentiras, grande parte da população ainda as defende com veemência.

É necessário desmenti-las, afim de fazer com que tudo possam ficar muito melhor para todos. Três questões básicas terminam confundido a cabeça de todos e nada melhor do que conferi-las abaixo, portanto, veja a seguir:

  • Tempo de casado

Um desses mitos é que é preciso esperar um ano para separar-se, porém não é verdade. Indo a um cartório é extremamente possível conseguir essa separação para o mesmo dia. Caso contrate um advogado, o processo demora um pouco mais.

Conforme disposto no artigo 1.572 do C.C fica estabelecido que:

Art. 1.572. Qualquer dos cônjuges poderá propor a ação de separação judicial, imputando ao outro qualquer ato que importe grave violação dos deveres do casamento e torne insuportável a vida em comum

 

  • Um motivo culposo para separar-se

Essa é outra questão que muitos acreditam, só que a realidade é que não é mais assim. O direito ao casamento é universal e a separação também, ou seja, basta querer. Não será necessário provar traição, agressão ou qualquer falta de zelo.

Muitas pessoas ainda ficam confusas quando falamos do divórcio, principalmente porque no código civil de 1973 era estabelecido o desquite. Na realidade o desquite é como se fosse o nosso atual divórcio. Porém o problema é que para poder se desquitar o parceiro insatisfeito com o casamento, deveria demostrar um motivo culposo do seu companheiro afim de dar fim ao enlace matrimonial.

  • Necessidade de já estar separado

Outro mito que é comum e ter a necessidade de provar que já estão separados a pelo menos dois anos. A lei dá respaldo para que a separação possa ser feita imediatam

quero me separar, mas não tenho coragem
quero me separar, mas não tenho coragem

ente, ou seja, trata-se de uma crendice popular que não tem respaldo legal.

É hora de me separar!

Quando chega a hora do divórcio não há mais o que fazer, o ideal é que se evite um desgaste ainda maior na relação. É muito comum ouvirmos a frase: quero me separar e não tenho coragem. Claro que isso é perfeitamente normal, afinal o fim de uma união é uma decisão que irá mudar a sua vida. Mas se o relacionamento não vem dando certo, opte pelo divórcio amigável, a sua vida e de seu ex companheiro será muito mais simples e feliz.

 

 

Sobre Amaro

Veja também

partilha de bens após divórcio

Como funciona a partilha de bens após divórcio

Um dos temas mais polêmicos envolvidos no processo de divórcio é a separação dos bens. …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ficou com alguma dúvida?

Temos advogados prontos para te atender

Deseja conversar com um advogado?

Ficou com alguma dúvida?

Temos advogados prontos para te atender

Deseja conversar com um advogado?